Mensagem do Diretor-Presidente

Casa de máquinas da usina hidrelétrica San Francisco, no Equador.

Para a Organização Odebrecht, 2010 chegou em 2007, quando as metas traçadas para
o fim desta década se fizeram realidade e passamos a estar entre os três maiores grupos
industriais privados do Brasil. A meta de faturamento anual de US$ 15 bilhões em 2010
foi superada. Desfrutamos de saúde financeira e contamos com sólida estrutura de capital.
Nossas duas principais empresas – a Construtora Norberto Odebrecht e a Braskem – lideram
seus mercados na América Latina. Com a criação da ETH Bioenergia, começamos a operar
no negócio Açúcar e Álcool, com grande potencial de expansão. Nosso olhar, neste momento,
já não está mais em 2010, mas em 2020. E isto só foi possível em razão do excelente
desempenho das equipes que atuam em nossos negócios.

Em Engenharia e Construção, chegamos ao fim de 2007 com US$ 17 bilhões em contratos em carteira, o equivalente a três anos de produção. Além de ter expandido sua presença internacional, com incremento da atuação na África e no Oriente Médio, a Construtora Norberto Odebrecht participa de projetos relevantes voltados para a melhoria da infra-estrutura de transporte, energia, saneamento e abastecimento na América Latina, em especial por meio de parcerias público-privadas, e do Programa de Aceleração do Crescimento, no Brasil. Sua expressiva diversificação levou à necessidade de distribuição dos mercados atuais para mais quatro empresas de nossa Organização, que trazem no nome o negócio ao qual se dedicam: Odebrecht Investimentos em Infra-estrutura, Odebrecht Engenharia Ambiental, Odebrecht Empreendimentos Imobiliários e Odebrecht Óleo e Gás, ficando a Construtora Norberto Odebrecht dedicada ao negócio de Construção e Serviços.

Em Química e Petroquímica, as aquisições realizadas em 2007 redefiniram o mapa do setor no Brasil e colocaram a Braskem num novo patamar, com incremento de aproximadamente US$ 3 bilhões em sua Receita Bruta e potencial de captura de sinergias avaliado em US$ 1,2 bilhão. Além disso, delineou-se um novo alinhamento estratégico com a Petrobras, mediante o aumento para 25% da participação daquela empresa no capital da Braskem.

Consolidada a liderança nacional, passos decisivos foram dados em direção à expansão
Internacional necessária ao crescimento continuado de nossa atuação em Química e
Petroquímica. Enquanto as joint ventures firmadas com a venezuelana Pequiven colaborarão
para ampliar a participação da Braskem no mercado internacional, o lançamento do primeiro polietileno obtido a partir do etanol da cana-de-açúcar – o polietileno verde – coloca a
empresa na vanguarda de uma tecnologia ambientalmente sustentável, com grande
potencial de consumo.

Com a criação da ETH, atingimos também em 2007 a meta de dar início a um novo negócio, alinhado com os interesses nacionais, sinérgico em relação aos negócios pré-existentes e com vocação para o crescimento e a liderança. A empresa, que nos próximos anos deve receber investimentos de R$ 5 bilhões, nasce com a visão de estar entre as três maiores do setor até 2015. Já opera duas usinas, em São Paulo e no Mato Grosso do Sul, e inicia a construção de outras três, nesses estados e em Goiás.

“Interagimos com um ambiente rico de oportunidades, mas também povoado por novas forças globais, prioridades e exigências que nos convidam permanentemente ao autodesenvolvimento e à superação constante de desafios”

Rumo a 2020

Uma visão geral da Organização Odebrecht, hoje, revela-nos uma confederação de empresários de três gerações, atuando diretamente em 20 países. São 50 mil pessoas unidas pelos valores e crenças que dão base e fundamento à Tecnologia Empresarial Odebrecht. Externamente, interagimos com um ambiente rico de oportunidades, mas também povoado por novas forças globais, prioridades e exigências que nos convidam permanentemente ao autodesenvolvimento e à superação constante de desafios. Nesse contexto, o atual porte e a complexidade de nossos negócios são realidades que nos cobram uma nova visão de futuro.

O processo de sucessão planejada prossegue nos níveis mais estratégicos da Odebrecht, já que temos uma nova geração de empresários pronta para assumir responsabilidades crescentes em nossas empresas. Em paralelo, começa a ser construída a nossa Visão 2020 (os objetivos que esperamos ver alcançados na próxima década). São movimentos articulados, realizados com ousadia e segurança empresarial, com os quais nos reposicionamos para aproveitar as novas oportunidades de crescimento e para estar à altura de nossa posição no Brasil e no mundo. Fazemos isso de acordo com a complexidade das sociedades e a velocidade das transformações, mas sem nos afastarmos de nossos princípios e valores, entre os quais aqueles que nos são mais caros: a humildade e a simplicidade.

Pedro Novis